Um cocar para salvar a vida do professor indígena

Compartilhe;

Familiares e amigos estão fazendo a rifa de um cocar Fulni-ô para custear o tratamento de saúde do professor indígena Florêncio Rekayg Fernandes, de Laranjeiras do Sul, Paraná, vítima de uma doença rara. O professor foi diagnosticado com Miosite por corpos de inclusão. Ela causa perda de massa muscular e atrofia. Como o tratamento não tem cobertura pelo Sistema Único de Saúde (SUS), há dois anos Fernandes luta para que a doença não avance mais. Após várias tentativas, ele conseguiu agendar consulta com o médico Beny Schmidt, de São Paulo, um dos mais conceituados profissionais na área de doenças neuromusculares. A rifa é de 30,00 e a chave Pix para depósito é 787 378 009 06. O sorteio será no dia 10 de agosto, às 15 horas, no Facebook do professor. Os contatos podem ser feitos com o próprio Fernandes pelo (46) 9 9978-7917 ou com Fabieli, (41) 9 9796-6732. Pedagogo, o professor faz parte do quadro do magistério da Secretaria de Educação do Paraná. Tem mestrado em Educação pela UEM e cursa doutorado em Antropologia na Universidade Federal do Paraná (UFPR). Ele pertence à etnia kaingang.


Compartilhe;