Saiu de um brechó de Prudente a câmera usada para fazer esta foto

Compartilhe;

Uma foto de Renan Cepeda que voltou a circular nas redes sociais mostrando o líder quilombola Albertino da Perna Torta, da Comunidade Kalunga, em Vão das Almas, interior de Goiás, foi feita com uma câmera comprada em um brechó da cidade de Presidente Prudente. A foto é de 2007 e foi postada no último sábado pelo cientista político e editor César Benjamin, do Rio de Janeiro, na página dele no Facebook. César lembra que a foto de Renan o faz lembrar de outro quilombo onde, na companhia de alguns amigos, construiu uma casinha de sapê e lá permaneceu por um ano alfabetizando crianças, jovens e adultos. “Minha cama era como esta da foto, feita de pequenos troncos. Água só havia a quarenta minutos de caminhada em trilhas pelo cerrado, onde eu sempre me perdia. Fogão de lenha. Muito araçá no mato, bom para comer, uma roça de mandioca e um jegue. Isso e duas mudas de roupa que também serviam de travesseiro — era o que eu tinha”. Renan, por sua vez, diz que o “Projeto Vão de Almas” foi uma das grandes experiências que teve como fotógrafo. “A comunidade quilombola mais isolada do Brasil, onde tudo que produzem há mais de três séculos é para consumo próprio. E nunca faltou nada. Uma conquista árdua que consolidou sua independência. E sua felicidade”. Segundo Renan, o retrato mostrando o líder quilombola sentado no sofá da sala foi feito com uma câmera Flexora 6x6cm, fabricada em 1952 na Alemanha, que o pai dele comprou em um brechó de Presidente Prudente, SP, em 1983. “Tinha o obturador quebrado, mas para a prática de light painting este defeito era uma comodidade: era só apertar o botão e ele travava, pressionando de novo pra fechar. A ótica dela é excelente. A médio formato ainda ‘funciona’”, assegura.
Nascido em 1966, Renan Cepeda, formado em Mecânica Industrial, cursou Comunicações pela Faculdade da Cidade, no Rio de Janeiro. Começou a fotografar em preto e branco aos 11 anos de idade. Trabalhou no antigo Jornal do Brasil, foi freelancer (autônomo) das maiores publicações do País e correspondente internacional pela agência SIPA. Agora, se dedica integralmente aos projetos de arte dele, é reconhecido pelas pesquisas em fotografia infravermelha e light painting. Ministra cursos e palestras em universidades e escolas de Arte.


Compartilhe;