Ricardo Barros faz ameaça se tiver que depor na CPI

Compartilhe;

O deputado federal maringaese Ricardo Barros (PP) ameaça arrastar todo mundo para a lama caso seja forçado a depor na CPI da Covid-19, segundo relata Diego Escosteguy. Conforme o jornalista, o parlamentar fez a advertência em conversa com interlocutores, sinalizando que vai “falar tudo” sobre “todo mundo”. A estratégia ricardista de cair atirando seria, na avaliação de Escosteguy, levar ao conhecimento da CPI as articulações para apressar a compra da vacina russa Sputinik. A pedido do senador Alessandro Vieira (Cidadania), a Comissão vota amanhã (terça-feira) se convoca ou não RB.

Líder do governo promete arrastar Sputnik à CPI

Por Diego Escosteguy

Em tom de ameaça, o líder do governo na Câmara, Ricardo Barros, disse a interlocutores que vai “falar tudo” sobre “todo mundo” se tiver que depor na CPI da Pandemia. Ele afirmou que vai expor a articulação para acelerar a compra de vacinas – vacinas no plural. “Foi Covaxin e Sputnik”, disse.

No Congresso, a russa Sputnik, comprada por governadores do Nordeste em consórcio liderado pelo PT e pelo lobista Rogério Rosso, recebeu o mesmo tratamento VIP, apesar das objeções da Anvisa. A União Química, próxima ao governador de Brasília, Ibaneis Rocha, representa os russos no Brasil.

Barros insistiu que não tem nada a temer. E, como o Bastidor antecipou, disse, em conversas reservadas, que citará o deputado Renildo Calheiros, irmão de Renan, relator da CPI.

O Planalto e Barros torcem para que o caso esfrie até o recesso parlamentar, daqui a duas semanas, embora saibam que isso é improvável.


Compartilhe;