Quase todo dia um jornalista morre por Covid no Brasil

Compartilhe;

Foto: Marcos Corrêa/PR

O Brasil segue liderando a estatística de baixas por Covid entre jornalistas no planeta apesar da diminuição de casos da doença a partir de maio. Atualização do levantamento sobre as mortes desta natureza entre os profissionais da categoria, feita pela Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), mostra que dee abril a julho os jornalistas continuam adoecendo e morrendo. Na média, foram registradas 28,4 mortes por mês, muito próximo à marca do primeiro trimestre (28,6 mortes/mês), o que representa quase uma morte de jornalistas a cada dia. Em 2020 (de abril a dezembro), a média mensal foi de 8,5 mortes. São 278 profissionais mortos desde o início da pandemia. De qualquer modo, a queda de casos fatais de maio para cá é um dado positivo e a curva decrescente das mortes segue tendência nacional, efeito direto da vacinação da população. A Fenaj e sindicatos filiados fizeram campanha pela inclusão da categoria entre os grupos prioritários na imunização. Alguns estados e municípios reconheceram os riscos da exposição dos jornalistas no trabalho e atenderam à reivindicação.


Compartilhe;