Pressionado pela justiça, Ulisses manda vacinar hoje todos os professores da rede básica

Compartilhe;

A fila para a vacina no RU da UEM é grande. Foto: Luciana Peña/CBN

Cobrado mais uma vez pela justiça, o prefeito de Maringá se apressou nesta sexta-feira em autorizar a vacinação contra a Covid-19 para todos os trabalhadores da rede básica de educação municipal. A imunização começou a ser feita no Restaurante Universitário da UEM e no final da manhã foi ampliada para as UBS Tuiuti e Jardim Pinheiros até às 17 horas. Outra decisão foi esticar também para amanhã a imunização. Por volta do meio dia, a fila dava volta ao redor do RU da Universidade. A justiça já havia cobrado celeridade em razão da lei 11.245, fruto do trabalho da Frente Parlamentar da Educação na Câmara de Vereadores. A lei estabeleceu que todos os profissionais da educação básica fossem vacinados prioritariamente no mesmo grupo das pessoas de 60 a 69 anos. A prefeitura alegava depender do Ministério da Saúde, que envia as doses com destinação definida. Mas, a Justiça insistiu na cobrança e a Prefeitura começou a vacinar estes profissionais por faixa etária. No início da semana, quando a população geral passou a ser imunizada, o Ministério Público entendeu que era urgente acelerar a vacinação dos professores, sob pena de acarretar prejuízo para a retomada das aulas e afetar crianças mais vulneráveis que dependem da escola até para se alimentar. Diante de nova cobrança ontem, a prefeitura, que já havia anunciado a ampliação da cobertura na semana que vem, decidiu vacinar de uma só vez todos os professores e profissionais deste grupo.


Compartilhe;