Pressão das redes sociais adiou votação do PL da Grilagem

Compartilhe;

Senadores e deputados federais tentam a todo custo mudar as regras de regularização fundiária e o licenciamento ambiental no país. São dois projetos que parte da bancada ruralista quer emplacar e que, se aprovados, fragilizam a vigilância ou estimulam a grilagem de terras públicas. Segundo o jornal “El País”, ativistas vem emitindo alertas há dois meses sobre o avanço destas propostas. Mas se intensificaram nesta semana depois que o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), sinalizou que dois projetos devem seguir para análise do plenário do Legislativo em breve. No Senado, os parlamentares queriam votar na última quarta-feira um projeto que flexibiliza as regras de regularização fundiária e que derivou, quase em sua totalidade, da MP da Grilagem, derrubada no ano passado pela Câmara. Porém, devido à pressão das redes sociais e ao elevado número de 98 emendas, o PL 510/2021 acabou sendo adiado para a próxima semana. Entre os deputados, a expectativa é que a Lei Geral do Licenciamento Ambiental e das alterações na titulação de terra da União sejam votados até meados de maio.


Compartilhe;