Patrulha Maria da Penha faz 4 anos com registro de escalada da violência

Compartilhe;

A Patrulha Maria da Penha em Maringá, operada pela Guarda Municipal, vai completar quatro anos no sábado (25), registrando uma escalada exponencial do número de mulheres atendidas por conta da violência doméstica, praticamente o dobro somente do primeiro para o terceiro ano de funcionamento. Os números apresentados hoje pela responsável pela Patrulha, Silvana Soares, dão conta da importância deste serviço de proteção feminina. Ela esteve na Câmara de Maringá à convite da vereadora Professora Ana Lúcia Rodrigues (PDT). A Patrulha acompanha, fiscaliza e apoia as vítimas. Se em 2017 foram atendidas 918 mulheres, em 2019 a demanda se elevou muito, ao ponto de a unidade ter atendido cerca de 1.700 mulheres. A primeira assistência por conta do acionamento do botão do pânico foi no ano passado. Somente em 2020 e até setembro deste ano a Patrulha somou em torno de 1.408 medidas protetivas cumpridas, 643 atendimentos via serviço 153, quase 300 diligências feitas e 10 suportes decorrentes do acionamento do pânico, um deles ocosionando a prisão em flagrante do agressor. O balanço dos quatro anos de operação registra cerca de 3.920 mulheres atendidas. Além de falar que Maringá reúne uma boa rede de proteção às mulheres, Ana Lúcia citou o compromisso do prefeito de agrupar as diferentes rubricas para identificar e aumentar o investimento municipal no orçamento para as políticas públicas destinadas à mulher.


Compartilhe;