O resgate da memória e um museu para evitar a repetição de um período sombrio

Compartilhe;

Peço desculpa aos leitores e leitoras por este momento de profunda sensação de experimentar o “vale à pena” viver. Nesta quarta-feira (9), Manoel Hermes Pupim Neto fez a defesa prévia do Trabalho de Conclusão de Curso. Título: “Museu da Ditadura Civil-Militar de 1964-85”. É o TCC do curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Estadual de Maringá (UEM). Foi aprovado com nota 9,5. Na banca, os professores doutores André Augusto de Almeida Alves (orientador) e Fabíola Castelo de Souza Cordovil. A apresentação ocorreu de forma virtual. De maneira resumida, o trabalho investiga a raiz da violência brasileira (sobretudo a da escravidão negra), a ditadura civil-militar de 1964, a eleição de Bolsonaro em 2018, e faz uma breve reflexão sobre a memória e o museu para, finalmente, mostrar o projeto de arquitetura, indicando, como local de construção da obra, a cidade de Brasília. Agora, antes de receber o diploma de Arquiteto e Urbanista, resta a defesa final da monografia, em maio próximo.


Compartilhe;