Nova biografia de Wainer retrata o jornalista e o cidadão

Compartilhe;

A jornalista Karla Monteiro procura dar uma dimensão mais ampla não apenas sobre a carrreira profissional, mas também a respeito da vida do fundador do jornal “Última Hora”. Ela escreveu “Samuel Wainer: O homem que estava lá”, lançado pela Companhia das Letras nas versões digital e impressa. A editora considera a obra a biografia definitiva do homem que revolucionou o jornalismo brasileiro e testemunhou eventos decisivos do Brasil no século 20. “Samuel Wainer nunca soube ao certo sua data de nascimento. O ano poderia ser 1912 ou 1914. E o dia, 15 de dezembro ou 16 de janeiro. A família Wainer desembarcara no Brasil em 1921, sem documentos, escapando do massacre dos judeus no leste europeu. Somente aos 21 anos ele conseguiu, enfim, tornar-se brasileiro, registrando-se como natural de São Paulo, na presença de duas testemunhas. Mas a nacionalidade forjada lhe custaria um processo na justiça, atiçado por Carlos Lacerda, o inimigo íntimo, e condenação a um ano de prisão por falsidade ideológica”, diz nota Segundo a Companhia das Letras, este e outros detalhes da vida do jornalista e empresário estão na biografia. “Com amparo em fontes diversas, muitas inéditas, e dezenas de entrevistas, Karla procura equilibrar as ambivalências do personagem, e entrelaça a aventurosa e mundana biografia de Wainer às tramas secretas do poder entre a ditadura do Estado Novo e a alvorada da Nova República”. O jornalista Sérgio Dávila entende que a autora vai além, traçando “um perfil isento, preciso e minucioso do homem de imprensa apaixonado, político e polêmico, que, ao criar a rede de diários Última Hora, teve um impacto único no jornalismo brasileiro”. Karla Monteiro é mineira de Diamantina, se formou em jornalismo pela PUC de MG e trabalhou nos jornais “Estado de Minas”, “Folha de S.Paulo” e “O Globo” e em várias revistas. Já escreveu “Karmatopia: uma viagem à Índia” e foi coautora de “Sob pressão: a rotina de guerra de um médico brasileiro”.


Compartilhe;