Morre Alaor Gregório de Oliveira, um expoente do movimento negro

Compartilhe;

Alaor (gravata vermelha) recebe o troféu Olhar Consciência Negra de Hércules Ananias, então assessor da Promoção da Igualdade Racial

Maringá perdeu ontem à noite o advogado Alaor Gregório de Oliveira, um dos principais defensores do movimento negro no Paraná. Ele tinha 77 anos e morreu em decorrência de uma doença degenerativa. Homem de um carisma sem igual, Alaor foi um dos fundadores da Associação União e Consciência Negra de Maringá, entidade que presidiu por vários mandatos. Militou também em diversas outras instituições e agremiações culturais da cidade.

Como recordou o jornalista Luiz de Carvalho, no site Maringá Post, Alaor veio de Presidente Prudente e começou a trabalhar no Funrural, onde fez carreira e chegou a ser o diretor. Paralelamente, participava de grupos de teatro e de várias atividades culturais, sendo um dos responsáveis pelas manifestações que acontecem em Maringá no Mês da Consciência Negra todos os anos. O advogado também foi procurador jurídico da Câmara Municipal. Nas redes sociais, amigos e admiradores dele lamentaram a morte e exaltaram a figura de Alaor.

Para o professor Luiz Paixão Rocha, Alaor foi “uma das referências e um dos precurssores das lutas pelas políticas afirmativas para a população negra do Paraná. Conheci o Dr. Alaor nos primeiros anos de militância negra, através da professora Aracy Adorno Reis, da Cleuza S. Theodoro e demais amigos de Maringá. Um advogado brilhante, que lutava contra a maré. No meio das dificuldades da luta sempre externava um sorriso e uma expressão de afeto. Dr. Alaor, a você nosso reconhecimento e homenagens!”. A também professora Aracy Adorno Reis diz que a Associação União e Consciência Negra de Maringá, da qual ela faz parte, está mais uma vez de luto. “Com imensa tristeza nos despedimos de nosso companheiro de luta Dr. Alaor Gregório de Oliveira. Meu irmão, meu amigo, que falta fará para este mundo!”, escreve Aracy, ligada ainda ao Instituto de Mulheres Negras Enedina Alves Marques.

“Sua inteligência privilegiada combinava com a generosidade de seu espírito, expressa no trato sempre hospitaleiro e, principalmente, na escuta atenta a dor do outro. Alaor deixou seu legado como professor, advogado e militante antirracista. Os dias correm doloridos com a partidas das pessoas boas. Que o Olorum o receba com festa. Do lado de cá fica nosso respeito, gratidão e muita saudade. Alaor Gregório de Oliveira, PRESENTE!”, concluiu.

O corpo está sendo velado na Capela do Prever da Zona 2, em frente ao Cemitério Municipal. Ainda não foi definido o horário do sepultamento.


Compartilhe;