Jornalista de Londrina foi intimado por noticiar juíza em ato democrático

Compartilhe;

Maschio, com o óculos pendurado ao pescoço, ontem na Polícia Civil

Como diz o sindicato da categoria, parece uma daquelas situações absurdas típicas de tempos autoritários, mas ontem o jornalista José Maschio teve que comparecer à Polícia Civil de Londrina para prestar esclarecimentos sobre a postagem na qual informou que uma juíza de Londrina participou das manifestações de 7 de Setembro com pautas antidemocráticas. A magistrada Isabelle Papafanurakis Ferreira Noronha, da 6ª Vara Criminal de Londrina, não gostou e representou contra Mashio, conhecido por Ganchão, e que é secretário geral do Sindijor Norte PR.

“Como se não fosse um absurdo juízes fazerem parte desse tipo de manifestação, agora ela ataca o jornalista e se diz vítima de calúnia. Após voltar da delegacia, Maschio fez uma nova publicação contando da intimação. Sem qualquer preocupação com a verdade, a magistrada quer também que o conteúdo seja retirado e o jornalista, que nada mais fez que se ater aos fatos, se retrate “em todos os meios de comunicação em que a informação falsa foi indevidamente veiculada”, diz nota do sindicato.

O advogado João Gomes, que defende Maschio, observa que a juíza “não diz que não é ela. Ela diz que estava lá como cidadã e não como juíza. Ora, o juiz nunca deixa de ser cidadão. O cidadão ocasionalmente pode ser juiz, mas o juiz não pode deixar de ser cidadão”.


Compartilhe;