Inércia para concluir obras gera multa a prefeito e ex

Compartilhe;

Obra do ginásio de esportes. Foto: Prefeitura de Irati

A inacão em concluir algumas obras no município levou o ex e o atual prefeito de Irati a serem multados pelo Tribunal de Contas do Paraná por meio da Segunda Câmara do órgão.

Analistas do tribunal identificaram a existência de dez obras paralisadas na cidade, região centro-sul do Estado, entre as quais trabalhos envolvendo a construção de duas creches, um ginásio esportivo e um centro cultural, bem como à pavimentação de vias públicas.

Foram multados individualmente em R$ 4.579,20 o engenheiro parecerista e ex-secretário municipal de Arquitetura, Engenharia e Urbanismo, Dagoberto Waydzik; e o engenheiro civil responsável pela fiscalização dos contratos de construção das creches, Sandro Luiz Podgurski. O motivo foi a fiscalização deficiente sobre a execução das obras.

Os integrantes da Segunda Câmara aplicaram ainda a mesma sanção ao ex-prefeito Odilon Rogério Burgath (gestão 2013-2016) e ao atual gestor municipal, Jorge David Derbli Pinto (gestões 2017-2020 e 2021-2024), por terem se omitido ou tomado ações insuficientes para retomar o andamento das referidas obras paralisadas.

Por fim, o relator do processo, conselheiro Ivens Linhares, se manifestou pela inclusão dos nomes dos quatro interessados no cadastro dos responsáveis com contas irregulares, assim como pela ressalva à inserção inadequada de informações sobre as obras, por parte da Prefeitura de Irati, no Sistema de Informações Municipais – Acompanhamento Mensal (SIM-AM) do tribunal de contas.

Cabe recurso contra a decisão contida no Acórdão nº 1503/21 – Segunda Câmara, veiculado no dia 16 de julho deste ano, na edição nº 2.582 do Diário Eletrônico do TCE do Paraná (DETC).


Compartilhe;