ILG da UEM tem novos dirigentes

Compartilhe;

Marluci, Soraya e Cássio: equipe assumiu no início do mês

A professora Marluci Muniz Ritondim é uma das novas dirigentes do Instituto de Línguas da UEM, escola de idiomas reconhecida pela excelência no Paraná, com 53 anos de atuação. Além de Marluci, coordenadora pedagógica, a equipe conta com os professores Soraya Christina Maldonado Cabrini, que assumiu a chefia do ILG, e Cássio David da Silva, que vai responder pela coordenação técnica. Eles tomaram posse no dia 1º de fevereiro, após eleição no Instituto. Os desafios são muitos. Marluci atuará para atrair mais alunos e alunas, tentando inclusive resgatar para a escola de idiomas os que se afastaram porque não se adaptaram ao ensino remoto. Graduada em Letras pela UEM, ela tem mestrado em Master of Arts In Teaching pela School For International Training, além de três aperfeiçoamentos em English. Atualmente, é professora titular da UEM.

Soraya quer buscar novas saídas que fortaleçam o setor. Isso implica, entre outras medidas, na elaboração de projetos e na definição de parcerias com os departamentos e setores da universidade, mostrando o trabalho desenvolvido pelo ILG. Ela esclarece que o Instituto visa promover o ensino de línguas estrangeiras, apoiar atividades de pesquisa e ensino por meio de um corpo de professores altamente capacitado e qualificado. Soraya é graduada e pós-graduada em Letras-Inglês pela UEM. Atua como professora de língua inglesa há mais de 30 anos, dos quais 25 no ILG.

Cássio vai comandar uma área que se encarrega da prestação de serviço na área de tradução, versão e intérprete, além de correção de textos em língua estrangeira. É a primeira vez que um professor de língua francesa assume o posto, cargo antes ocupado por professores da língua inglesa. Por isso, o setor deverá passar por um momento de conformação, visto que, com Cássio, poderá ofertar tradução e versão (e correção de textos traduzidos) em língua francesa, tradução da língua inglesa, italiana e espanhola. O novo coordenador técnico diz que vai procurar trabalhar com os professores do ILG que dominam o trabalho de tradução e com estagiários do Departamento de Letras (DLE). Uma outra opção vislumbrada é propor parceria com colegas já aposentadas, até para oportunizar a elas manter o contato com o ambiente de trabalho. Também graduado em Letras pela UEM, Cássio, professor de língua e literatura francesa, possui especialização em Tecnologias na Educação.

Vale ressaltar que o ILG da UEM, uma universidade com 50 anos completados em 2019, sempre foi referência no ensino de idiomas em Maringá, com mais de 7.3 mil alunos formados.


Compartilhe;