Dois de oito lotes mostrados pela Folha foram aplicados em Maringá, mas dentro da validade

Compartilhe;

Foto: Geraldo Bubniak

Numa coletiva de imprensa na tarde desta sexta-feira, a Prefeitura de Maringá repetiu que nenhum maringaense tomou vacina vencida contra a Covid-19, numa alusão à reportagem da Folha de S. Paulo. Admitiu que dos oito lotes mencionados pelo jornal contendo doses aplicadas supostamente fora do prazo, dois realmente foram aplicados na população de Maringá, mas antes do vencimento, que era de 14 de abril de 2021. Release divulgado após a coletiva, com as presenças do vice-prefeito Edson Sabora (MDB) e do secretário de Saúde, Marcelo Puzzi, além de outros, menciona a reportagem como tendo informações equivocadas. “A população pode ficar tranquila. Não há tempo de vencer a vacina, que tem no mínimo quatro meses de validade. Em poucos dias, a logística da vacina capacita a chegada dela até Maringá, que tem muita eficiência no processo de aplicação do imunizante, e aqui nunca armazenamos vacinas, estamos vacinando diária e ininterruptamente”, disse Scabora.

Secretário de Inovação, Marcos Cordiolli; Scabora (ao microfone), Puzzi e Edilene Oliveira

Segundo Marcelo Puzzi, “não existe a menor possibilidade de algum maringaense ter tomado vacina vencida contra covid-19”. Conforme levantamento da Secretaria da Saúde, do lote “4120z005” foram recebidas 4 mil doses em 24 de janeiro de 2021, 80 doses no dia 1º de fevereiro e outras 50 em 10 de fevereiro. Já o lote “CTMAV520”, com 1.460 doses, chegou no dia 27 de março de 2021. “Todas as doses recebidas foram aplicadas antes do vencimento. Ao realizar a transmissão das informações para Brasília, ocorreram problemas que já foram detectados e notificados ao Ministério da Saúde no dia 11 de junho para correção. O Ministério respondeu aos nossos e-mails e a correção no sistema será feita”, explicou Edilene Pires de Oliveira, coordenadora imunobiológica da Secretaria de Saúde,


Compartilhe;