De cada 10 maringaenses, 3 moram de aluguel

Compartilhe;

Maringá tem 50 mil famílias morando de aluguel, 32% da população, a maior taxa de locação do Paraná, ante a média de 21% em Curitiba e de 18% no Brasil. Isso é o que aponta um estudo da consultoria Brain, contratada pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil do Paraná (Sinduscon)/Noroeste e o Sebrae PR. Em outras palavras, significa dizer que cerca de 129 mil pessoas, por não terem imóvel próprio, pagam para morar na cidade. Na região central da cidade, o percentual chega a 40%. Segundo informações da consultoria, Maringá tem alta taxa de crescimento demográfico, com a formação de mais de cinco mil novas famílias por ano.

A pesquisa, porém, visa apontar aos empresários o potencial da construção civil e do mercado imobiliário no município. Do ponto de vista do setor, estes números reforçam a oportunidade de crescimento. Vejam alguns números: em 2020 foram lançados 19 empreendimentos em Maringá, entre residenciais e verticais, comerciais e residenciais, totalizando 1.773 unidades. No mesmo período foram comercializadas 2.136 unidades novas, ou seja, foi um número maior que o de lançamentos, o que significa redução do estoque.

Sempre sob a ótica do segmento, como até o final de junho havia 2.379 imóveis novos disponíveis se não houvesse lançamentos das construtoras o estoque se esgotaria no final do ano.


Compartilhe;