Criado banco de dados para mulheres juristas no TRT do Paraná

Compartilhe;

O Tribunal Regional do Trabalho do Paraná passou a disponibilizar, para consulta, a relação de mulheres juristas com expertise em áreas próprias do Direito, já cadastradas no âmbito do TRT. A lista reúne magistradas, advogadas, professoras e pesquisadoras, com indicação da área de produção científica, link para o currículo Lattes e participações como palestrante ou painelista. A iniciativa atende à Política Nacional de Incentivo à Participação Feminina no Poder Judiciário, instituída por resolução do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).
Em linhas gerais, estes repositórios são bases de dados online que reúnem de maneira organizada a produção científica de uma pessoa, instituição ou área temática.
Assim, mulheres juristas interessadas em integrar o sistema podem se inscrever por meio do preenchimento do formulário próprio disponibilizado no site do TRT do Paraná. O objetivo é compor um banco de dados com indicações de mulheres juristas para serem citadas em peças processuais, trabalhos de pesquisa, bancas examinadoras, painelistas, expositoras, entre outras atividades.
Após análise das inscrições submetidas, o tribunal encaminhará a lista atualizada ao CNJ, para alimentação do Repositório Nacional, que terá atualização anual.

Igualdade

O Cadastro Nacional de Mulheres Juristas foi criado para manter um repositório nacional da mulheres que tenham expertise nas diferentes áreas do Direito, na tentativa de promover a igualdade de gênero no ambiente institucional e incentivar a participação feminina nos cargos de chefia e assessoramento em bancas de concurso e como expositoras em eventos institucionais.


Compartilhe;