Conselho decidirá proposta de retorno à aula presencial na UEM

Compartilhe;

Fachada do câmpus sede. Foto: ASC/UEM

O Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CEP) recebe nos próximos dias documentos para que analise, em votação, a possibilidade de retorno às aulas presenciais na Universidade Estadual de Maringá. O colegiado se baseará na análise dos protocolos de biossegurança elaborados pelo governo estadual, feita, na última semana, pelo Comitê de Enfrentamento à Covid-19 na UEM. Os protocolos examinados são direcionados aos estudantes e servidores da universidade. A proposta apresenta uma possibilidade de retorno, quando possível, considerando cinco fases: fase 1 (roxa), fase 2 (vermelha), fase 3 (laranja), fase 4 (amarela), fase 5 (verde) e “novo normal”. As fases levam em conta a matriz de risco adotada pela Secretaria Municipal de Saúde de Maringá e que é monitorada constantemente pelo Grupo Complex-Lab do Programa de Pós-Graduação em Física da UEM.

Os dados relativos à matriz de risco são divulgados diariamente por meio do boletim epidemiológico publicado pela Prefeitura de Maringá, que define a taxa de transmissão a partir do número de pessoas positivadas e a taxa de ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). “Levando em conta estas informações, há a possibilidade de retomada gradual e escalonada das atividades presenciais apenas na fase amarela, onde há um risco moderado de contaminação por Covid-19, o que ainda impõe restrições”, avalia Alessandro Santos da Rocha, Chefe de Gabinete da Reitoria e Presidente da Comissão de Acompanhamento.

Na fase amarela, as disciplinas teóricas serão oferecidas na modalidade de Ensino Remoto Emergencial (ERE), assim como todas as outras disciplinas práticas que puderem permanecer nessa modalidade de ensino. Entretanto, a decisão depende do CEP. Para um eventual retorno, existe a recomendação de garantir prioridade à volta gradual presencial para as disciplinas práticas das séries finais dos cursos, conforme planejamento dos cursos e centros de ensino.

Os protocolos foram definidos tendo como referência o Decreto Estadual nº 6/637 de 20 de janeiro de 2021 e os manuais da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG).

Amanhã, quarta-feira (7), o CEP vai votar parecer do Gabinete da Reitoria, que prevê o retorno presencial para ministrar s conteúdos programáticos práticos das disciplinas curriculares profissionalizantes dos cursos afetos ao Centro de Ciências da Saúde. A reunião será de forma remota.


Compartilhe;