Conflito em condomínio vai parar na justiça

Compartilhe;

A discordância entre moradores e a síndica de um condomínio residencial na Zona 8 foi parar na justiça para que seja feita, a pedido de um dos condôminos, a produção antecipada de provas, recurso que pode embasar uma ação na sequência destas apurações. O conflito envolve por exemplo acusações de omissão contra a síndica na adequação de irregularidades apontadas em vistoria do Corpo de Bombeiros. Também pesa contra ela responsabilidade pela ocupação suspeita de terreno vizinho para, usando tubos de PVC, instalar uma precária conexão entre a rede de esgoto do condomínio e a da Senepar. O reclamante se queixa da falta de transparência num acordo do condomínio com uma empresa que tem como objeto reparos na rede de esgoto. A síndica teria ainda utilizado indevidamente dinheiro do condomínio para pagar advogado em benefício dela. Os custos desta despesa foram repassados aos moradores. O autor invoca prejuízos patrimoniais por conta de o condomínio ter contratado, sem aprovação em assembleia, empresa que estaria fazendo a cobrança de cotas condominiais, e, ainda por cima, obtendo lucro com a atividade. O caso tramita na 7ª vara cível de Maringá.


Compartilhe;