Com reatroativo, salário de Heleno, Braga Netto e Ramos passou de R$ 100 mil

Compartilhe;

Conforme o Portal Transparência, os ministros Augusto Heleno, do Gabinete de Segurança Institucional; Braga Neto, da Defesa; e Luiz Eduardo Ramos, ainda chefe da Secretaria de Governo, receberam, cada um, mais de R$ 100 líquidos sobre o salário de junho, pago em julho.

A informação, publicada neste domingo pelo jornal O Globo, na coluna de Ancelmo Gois, diz que os contracheques citam os salários bases, os descontos por lei, o pagamento de parte do 13º salário e “remunerações eventuais”.

Augusto Heleno, por exemplo, teve direito a R$ 91.037,56 como ganho eventual e recebeu R$ 107.224,96 líquidos. O ministro Braga Neto ganhou R$ 95.179,96 eventuais e teve vencimento líquido de R$ 107,224,67. Ramos, por sua vez, percebeu R$ 106.260,31 em caráter especial e R$ 111.295,38 de salário.

Segundo o Ministério da Casa Civil e o Gabinete de Segurança Institucional, os valores dizem respeito a pagamentos remanescentes sobre os salários de janeiro, fevereiro, março e abril. Ainda resta o residual de dezembro de 2020, que será pago ao fim deste ano.

Esses residuais, segundo as pastas, têm relação com o novo abate do teto do serviço público, que limita os vencimentos a R$ 39,2 mil, estabelecido pelo Ministério da Economia. A regra beneficia militares da reserva em cargos civis, sendo livre a acumulação de valores.


Compartilhe;