Clima de terra arrasada reforça Grito dos Excluídos

Compartilhe;

Os movimentos sociais em Maringá preparam para o dia 7 de setembro uma manifestação que fará parte do calendáro nacional de luta da categoria chamado de “Grito dos Excluídos”. Terá início às 15 horas e ocorrerá no estacionamento do estádio Willie Davids. Durante o ato público, os participantes pedirão pela saída imediata do presidente e o vice do Brasil, Jair Bolsonaro e Hamilton Mourão. A ideia da manifestação, que ocorre na mesma data em que apoiadores do presidente se organizam para dar apoio a ele, é mostrar que a nação só será livre quando os trabalhadores tiverem os direitos garantidos e participação na riqueza gerada pelo Brasil. Os organizadores do Grito dos Excluídos entendem o clima de polarização política previsto, mas dizem que enquanto os militares utilizam a data para reafirmar um “poderio bélico” ligado à ocasião da da independência do Brasil, os movimentos sociais adotaram a data para reforçar a necessidade de um governo inclusivo, para todos. Na pauta estão a defesa do patrimônio público, derrota da PEC 32 (reforma administrativa); reforma tributária justa; salário, emprego, trabalho decente e renda; combate à inflação, carestia e à fome; vacina para todas as pessoas e auxílio emergencial de R$ 600; e a defesa da agricultura familiar associada à segurança e soberania alimentar.


Compartilhe;