Caputo quer reconhecimento a entidade que faz terapia com cavalos

Compartilhe;

A Associação Paranaense de Equoterapia e Inclusão Equestre (APEIE), de Ponta Grossa, pode receber o título de utilidade pública estadual. Depende agora da aprovação, pela Assembleia Legislativa do Paraná, de um projeto de lei apresentado pelo deputado Michele Caputo (PSDB).

A entidade é uma organização sem fins lucrativos que desenvolve, desde 2017, um trabalho assistencial, terapêutica, educacional, ambiental e desportiva, com produção, divulgação e conhecimentos técnicos e científicos em equoterapia, equitação e equinocultura.

Método terapêutico e educacional, a equoterapia utiliza o cavalo dentro de uma abordagem multidisciplinar e interdisciplinar nas áreas de saúde, educação e equitação. O objetivo é buscar o desenvolvimento biopsicossocial de pessoas com deficiências e/ou necessidades especiais.

Nas palavras do deputado, “esse projeto de lei é um reconhecimento de todo um trabalho que vem sendo muito bem feito. O desenvolvimento científico da equoterapia é muito importante para o avanço dessa técnica que tem seu valor terapêutico já bastante reconhecido, e também, é claro, promover a inclusão social na equitação e equinocultura, dando a possibilidade para quem não teria acesso aos cavalos se não fosse pela associação”.

Em 2020, a APEIE efetuou cerca de 700 procedimentos, os quais foram interrompidos no início da pandemia de Covid-19. Em junho do mesmo ano, alguns procedimentos foram retomados com a observância dos protocolos sanitários de combate à doença. Ainda em 2020, a entidade pôde realizar curso de formação de profissionais de saúde para habilitá-los ao trabalho com crianças e adolescentes.


Compartilhe;