Bolsonaro ao ser comunicado da roubalheira: “esse pessoal, meu irmão, tá foda!”

Compartilhe;

Foto: Carolina Antunes/PR

Ao ser procurado pelos irmãos Luis Ricardo e Luis Miranda, para informá-lo sobre o esquema de corrupção na compra da vacina indiana Covaxin, o presidente da República teria se queixado da voracidade do “pessoal” (leia-se Centrão), em especial do deputado federal Ricardo Barros (PP), seu líder na Câmara. “Esse pessoal, meu irmão, ta foda. Não consigo resolver esse negócio. Mais uma desse cara, não aguento mais”, foi a frase disparada por Jair Bolsonaro. A conversa foi transmitida à Folha de S. Paulo pelo deputado federal Luis Miranda (DEM) numa entrevista ao jornal. A Folha e o Portal UOL trazem hoje detalhes desta conversa. Como Miranda já teria sugerido por várias vezes que o encontro com Bolsonaro foi gravado, difícil não acreditar nele agora. E a frase do presidente é mais um instrumento para que a CPI o acuse pelo crime de prevaricação ao STF, já que ele sabia da roubalheira e nada fez. Mais: Miranda afirmou ao jornal que quem dá as cartas no Ministério da Saúde é o diretor de Logística Roberto Ferreira Dias, indicado ao cargo pelo ex-deputado Aberlardo Lupion e Ricardo Barros. E diz que o esquema de corrupção pode ser ainda muito maior, recaindo inclusive sobre a compra de testes para a Covid.


Compartilhe;