Barros no Valor Econômico, contra votação para prorrogar cotas

Compartilhe;

A foto do líder do governo Jair Bolsonaro na Câmara Federal, deputado maringaense Ricardo Barros (PP), estampou uma das páginas do jornal Valor Econômico na sexta-feira (15). Tudo porque os governistas adiaram a prorrogação de lei de cotas raciais. O prazo final para a revisão desta política pública é agosto, quando ela completa dez anos, e a falta de votação torna incerta a continuidade deste direito social. O PP e o Republicanos foram contrários a se votar na última quinta-feira a prorrogação da lei das cotas raciais nas universidades e faculdades públicas. Com isso, somente em agosto o debate será retomado pela Câmara dos Deputados. A lei reservou parte das vagas em universidades e institutos federais públicos para a população negra, parda, indígena ou com deficiência. Os partidos de oposição tentaram incluir o projeto em um grande acordo, mas não houve consenso com os governistas. Há divergências jurídicas sobre os reais efeitos dessa omissão, ou seja, se essa situação acaba ou não com as cotas.

Relator do projeto e líder do PSB, o deputado Bira do Pindaré (MA) pediu o apoio dos parlamentares. “A lei prevê um prazo revisional de dez anos e a única coisa que vamos fazer no nosso relatório é ampliar esse prazo revisional. Quem quer que seja o presidente eleito é quem vai conduzir essa revisão”, disse ele. A prorrogação, ressaltou, visa dar segurança jurídica para a manutenção dessa política.


Compartilhe;