Ainda há vagas em seminário sobre eventos ligados ao trânsito

Compartilhe;

As inscrições, gratuitas, podem ser feitas pelo link e quem se inscrever ainda terá certificado de 4 horas de participação. Eles serão emitidos pela Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (Semob), da Prefeitura de Maringá, parceira do evento. Os links de acesso serão enviados exclusivamente para o e-mail dos inscritos.

O encontro, totalmente online, começa às 8 horas de sábado (25 de setembro), com a participação de vários convidados. Nas palestras, eles irão tratar de temas como as “Possibilidades de pesquisa e carreira no trânsito na visão multidisciplinar”, “Atuação do Samu em Maringá e região e como a sociedade pode auxiliar no tempo resposta aos atendimentos”, e a “A universidade e o contexto dos eventos relacionados de trânsito: dados epidemiológicos”.

Além disso, serão abordadas as “Alterações do Código de Trânsito Brasileiro”, “Atuação da Polícia Científica em locais de acidentes de trânsito”, “Fraturas provocadas por acidentes com motocicletas”, “Os veículos autônomos: aspectos legais e éticos” e o “Programa Vida no Trânsito”.

Trata-se do “I Seminário online sobre os eventos relacionados ao trânsito”, que ocorrerá durante todo o sábado. A organização é do Departamento de Enfermagem da Universidade Estadual de Maringá, em parceria com autoridades nacionais do trânsito e integrantes do Programa Vida no Trânsito de Maringá, conhecido pela sigla PVT.

De caráter científico-acadêmico, será organizado como parte da programação da Semana Nacional de Trânsito. Tem como público alvo membros da comunidade interna da UEM e o público geral interessado no assunto. Na coordenação geral estará a professora Débora Moura, do Departamento de Enfermagem da UEM, ao lado de alunos ligados ao Programa de Educação Tutorial (PET) do curso de Enfermagem da Universidade.

Débora Moura estudou o assunto na tese de doutorado defendida pelo Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da UEM. Na pesquisa, além de analisar informações de Maringá, fazendo uma análise espacial para saber quais eram as regiões da cidade com prevalência de mortes no trânsito, a professora investigou os óbitos registrados nos 399 municípios paranaenses nos 34 anos anteriores. O objetivo era saber como havia ficado a conjuntura após a entrada em vigor do Código de Trânsito Brasileiro (CTB) e da adoção da Lei Seca. Débora também faz parte de duas comissões do Programa Vida no Trânsito no município: a Geral e a de Análise de Dados.

Informações detalhadas sobre o Seminário estão nas redes sociais do Programa de Educação Tutorial (PET): Instagram e Facebook. Dúvidas podem ser sanadas por meio do e-mail [email protected]


Compartilhe;