A Educação vai parar amanhã

Compartilhe;

Como parte de um calendário de lutas definido pela categoria, os servidores públicos estaduais da educação fazem, amanhã (21), em Curitiba, uma dia de paralisação pela Data-Base. De Maringá, sairá um ônibus com manifestantes de várias entidades e instituições, incluindo a Universidade Estadual de Maringá (UEM). Em função dos prazos legais do período eleitoral, junho será crucial para avançar nas reivindicações São seis anos sem recomposição das perdas inflacionárias. As perdas e problemas incluem, ainda, segundo os sindicatos, direitos suprimidos e cassados, calotes, carência de funcionários(as) nas escolas, cobranças e assédio. Os cálculos são que o governo do Estado acumula uma dívida superior a 36% com o funcionalismo. Só nos últimos 12 meses, as perdas inflacionárias chegam a 12,13%. Outros 3,39% já estão aprovados e carecem apenas da autorização do governador, independente do período eleitoral.


Compartilhe;