A conta chegou

Compartilhe;

O Ministério Público indiciou 33 PMs por tentativa de homicídio contra o senador Cid Gomes (PDT) durante motim na cidade de Sobral, Ceará, em fevereiro do ano passado. Já na Promotoria de Justiça Militar, 35 policiais, dois deles oficiais, foram acusados por crimes militares por aquartelamento. Cid levou dois tiros: um entrou na clavícula e saiu, e outro o atingiu no pulmão esquerdo. O motim envolveu centenas de policiais militares. Um Inquérito Policial Militar foi instaurado para chegar aos nomes dos envolvidos. Também houve quebra do sigilo telefônico autorizado pela Justiça a fim de descobrir quais policiais estavam amotinados no quartel, em Sobral. Ao fazer a denúncia, na última quinta-feira, o promotor Sebastião Brasilino de Freitas Filho pede a condenação com perda das patentes e das graduações para que os envolvidos sejam retirados da Corporação. Mas, Freitas não apresentou denúncia pelo crime de tentativa de homicídio sob o argumento de que crimes dolosos contra a vida seriam atribuição de outra instância. Foi determinado o envio do IPM a uma promotoria do Júri.O senador é irmão do ex-ministro Ciro Gomes (PDT).


Compartilhe;